Surpresa internacional

3

Há males que vêm por bem. O Shortcutz Guimarães teve que alterar o filme convidado da sessão #05 e a escolha recaiu na mais surreal e divertida curta-metragem que fez o circuito de festivais de cinema este ano. “Engordar de forma saudável” (Getting Fat in a Helathy Way), do búlgaro Kevork Aslanyan, vai ser exibido na próxima quarta-feira, pelas 21h45, na sede do Cineclube de Guimarães.

É toda uma surpresa. Desde logo para o público do Shortcutz, uma vez que não estava inicialmente prevista a sua exibição. Na sua primeira vez em Portugal, foi uma das sensações do FEST – Novos realizadores, novo cinema, que aconteceu no Verão, em Espinho, onde recebeu o prémio do público para melhor curta-metragem. E tem sido igualmente bem recebido no circuito de festivais um pouco por toda a Europa.

A curta-metragem é, em si mesma, surpreendente . É a primeira obra do seu realizador – Kevork Aslanyan tem trabalhado desde o início da década como montador de alguns dos maiores sucessos do cinema búlgaro. E mostra-se num registo de delírio que não temos associado ao cinema vindo do Leste da Europa. O ambiente visual associa-se de imediato à obra de Jean Pierre Jeunet e o humor negro e cáustico q.b. tem reminiscências britânicas.

Aslanyan propõe uma distopia, numa Bulgária pós-comunista em que, por causa de um acidente, as regras da gravidade foram alteradas. As pessoas magrinhas têm, por isso, dificuldade em não acabarem a voar sem destino pelos céus. Comer e engordar pode, por isso ser benéfico. O contrário daquilo a que estamos habituados. E é este jogo entre normal/surpresa que é a força narrativa do filme. O resultado é brilhante.

“Engordar de forma saudável” é o filme convidado da sessão de Novembro do Shortcutz Guimarães, substituindo “Cinema”, de Rodrigo Areias, que, devido à indisponibilidade do seu realizador, será reprogramado, no início da próxima temporada.

Sinopse e ficha técnica de “Engordar de forma saudável” aqui.

Anúncios

#05 Engordar de forma saudável

1

Engordar de forma saudável, Kevork Aslanyan
22 min, 2015 (Bulgária)
Com Ovanes Torosyan, Petyo Cekov, Keti Raykova, Tsvetomira Daskalova, Ivan Matev, Silva Petrova, Lyudmila Daskalova, Ana Topalova, David Torosyan, Dimitar Katsarov e Toma Waszarow

Realizador: Kevork Aslanyan
Argumento: Kevork Aslanyan, Georgi Merdzhanov
Produção: Toma Waszarow, Anna Stoeva
Director de Fotografia: Boris Slavkov

Sinopse
Num mundo onde a gravidade é fraca e as pessoas magras voam, Constanine nunca saiu do apartamento que partilha com o seu pai, Atanas. Mas um dia, uma bonita hospedeira muda-se para o prédio e vai mudar a vida de Constantine para sempre.

A última sessão

cropped-jcf_96711.jpg

Eis os últimos concorrentes aos prémios do Shortcutz Guimarães 2016, que são entregues no próximo mês: “Prefiro não dizer”, de Pedro Augusto Almeida, e “Que é feito dos dias na cave”, de Rafael Almeida. Estas são as duas curtas-metragens a ser mostradas na exibição #05 do evento, marcada para este mês de Novembro. E dificilmente se poderiam juntar dois filmes mais diferentes entre si.

Os dois filmes são obras de ficção, mas com uma abordagem em tudo diferente. “Prefiro não dizer” é uma curta na esteira de uma das mais fortes linhas do cinema português: rodado na periferia de uma cidade, é uma incursão pelos mecanismos de sobrevivência dentro desse espaço, com um drama familiar como linha narrativa central.

Onde o filme de Almeida é fragmentário, “Que é feito dos dias na cave” é marcado pela unidade de acção. O filme de Rafael Almeida é apresentando como um longo plano-sequência, em que o espectador acompanha, em tempo real, a fuga de um doente de um hospital psiquiátrico, numa experiência cinematográfica imersiva.

O último convidado do ano no Shortcutz Guimarães é o produtor e realizador Rodrigo Areias. Deste modo, prossegue-se a intenção de chamar às sessões criadores que trabalham no cinema e que têm relação com a cidade. Depois de Eduardo Brito ou Tânia Dinis, o homem forte da produtora Bando à Parte apresentará “Cinema”, curta-metragem de 2014.

“Um homem prepara um velho ritual num templo há muito abandonado pelos fiéis”, anuncia a sinopse. Esse templo é um cinema bem conhecido dos mais antigos cinéfilos de Guimarães e um espaço mítico da cidade que, nesta curta-metragem, é habitado por outro mito, Acácio de Almeida, icónico director de fotografia que aqui dá corpo a uma ode nostálgica à 7ª arte.

A sessão #05 do Shortcutz Guimarães acontece no dia 23 de Novembro, às 21h45, na sede do Cineclube de Guimarães, no centro histórico da cidade.

 

Prefiro Não dizer, de Pedro Augusto Almeida

Que é feito dos dias na cave?, de Rafael Almeida

Cinema, de Rodrigo Areias

#05 Cinema

cinema_still_1-1

Cinema de Rodrigo Areias
9’ 38’’; 2014

Com Acácio de Almeida
Realização/Argumento/Montagem: Rodrigo Areias
Som: Pedro Marinho, Pedro Ribeiro
Produção: Bando à Parte

Sinopse: Um homem prepara um velho ritual num templo há muito abandonado pelos fiéis.

#05 Que é feito dos dias na cave?

2

Que é feito dos dias na cave? de Rafael Almeida
15’; 2016

Com João Sério, Ana Varela, Salvador Nery
Argumento Tiago Primitivo
Produção Ana Clara

Sinopse: Marco tenta fugir pelos corredores labirínticos do hospital psiquiátrico. O jovem paciente terá de ultrapassar vários obstáculos, incluindo os fantasmas internos que lhe perturbam os sentidos.

#05 Prefiro Não dizer

still1_prefironaodizerPrefiro Não dizer de Pedro Augusto Almeida

11’; 2015

 

Com António Parra, Gisela Borges, Miguel Borges, Tânia Figueiras Ribeiro

Argumento e Realização: Pedro Augusto Almeida

Fotografia: Vasco Mendes

Som: Pedro Adamastor

Produção: Riot Filmes

 

Sinopse: O dia começa com uma troca de favores. Uma entrevista, um jogo de futebol, cigarros atrás de cigarros.Fragmentos da rotina de quem vive num espaço isolado que rotula e condiciona opções de vida.